Opaleiros do Paraná

Conecte-se e aproveite as vantagens de ser um Membro Oficial.

Login

Esqueci minha senha

Últimos assuntos

» Opala Diplomata 1.991 Automático
Hoje à(s) 13:05:53 por joaoc

» me apresentando
Hoje à(s) 12:36:07 por tcheco 8687

» Câmbio 6cc
Hoje à(s) 12:12:15 por opala4cc

» Caravan comodoro 1988
Hoje à(s) 12:04:18 por Caravan88

» Fabricando um Rotisserie
Hoje à(s) 10:38:00 por Heitor_Ruschmann

» Chevrolet Caravan 1979 2500 - Customização simples e de bom gosto
Hoje à(s) 10:31:29 por Lukaoneves

» RONCO DO 6 CILINDROS
Hoje à(s) 10:20:38 por oXLS

» Opala 1978 Diplomata
Hoje à(s) 8:05:25 por Caravan88

» Qual e meu opala
Hoje à(s) 8:03:38 por Caravan88

Quem está conectado

73 usuários online :: 1 usuário cadastrado, Nenhum Invisível e 72 Visitantes :: 2 Motores de busca

joaoc


[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 523 em Qua 15 Dez - 17:01:27

Produtos 101 Racing Parts

Seg 22 Abr - 17:29:39 por 101 Racing Parts

Comando de Válvulas Mecânico ISKY (USA)
CHEVROLET/GM 6cil 4.1L/250 1969-91 Opala
CHEVROLET/GM 4cil 2.5L/151 1969-91 - Carburados (tubo 6mm) Chevette, Chevy, Marajó



LINK PARA O PRODUTO
http://www.101racingparts.com/ecommerce/lista_produtos/busca%7C%7Cisk-2/1

Rafael Rodrigues
rafael@101racingparts.com
(41) 3941-4138


Filtro de Combustível de Tubo com Bico …

Top dos mais postadores

thallisguimaraes (17463)
 
tabarbosa (16851)
 
BANDIT (13534)
 
Xann (10387)
 
j ricardo (9352)
 
Jean Bida (9311)
 
Eduardo SSa (8678)
 
raphaelcaronti (8482)
 
Rubão6cc (7880)
 
100 (7771)
 

CRONOLOGIA

Compartilhe

victor estevao
Opaleiro
Opaleiro

Masculino Número de Mensagens : 72
Idade : 24
Localização : RIO GRANDE DO SUL
Modelo do carro : Opala comodoro 1982
Cilindros : 4 CIL ALCOOL
Data de inscrição : 19/06/2011

CRONOLOGIA

Mensagem por victor estevao em Dom 3 Jul - 21:02:14

CRONOLOGIA


Chevrolet Opala, Uma História de Grande Sucesso

Até 1967, a GMB só produzia camionetes e caminhões, mas em 1966, no dia 23 de novembro, em uma coletiva é imprensa no Clube Atlético Paulistano, na capital paulista, a GM anunciava o início do Projeto 676, o futuro Chevrolet Opala. Ai então começou os planos e estudos do primeiro carro de passeio nacional produzido pela da GMB. 676, esse foi o nome-código de um dos carros nacionais com maior tempo de produção, o Chevrolet Opala, com 23 anos de produção e puro sucesso. O Opala foi derivado de um projeto alemão, o Opel Rekord C, lançado em 1966 na Alemanha.

O Chevrolet Opala foi lançado em 19 de novembro de 1968 no 8° Salão do Automóvel Brasileiro. Inicialmente o Opala foi apresentado na versão de 4 portas, nos modelos De Luxo e Especial, o motores disponíveis eram de origem americana, com duas opções: um quatro cilindros de 2500cc e um seis cilindros, inicialmente de 3800cc.

A carroceria de quatro portas contrariava o gosto reinante na época, francamente voltado para modelos de 2 portas. Era um carro moderno, pois havia surgido na Alemanha há pouco tempo.

Em 1970 a linha Opala ganha novas cores, agora metálicas, Nesse ano a GM começa o projeto do Opala cupê, um Fastback de linhas clássicas e esportivas, porem, a GM escondia e negava o projeto, mesmo já tendo seis carros prontos em sua fase final de teste, todos amarelos com teto em vinil preto. Dois anos depois seria a estréia do Opala cupê.


Em 1971, o Opala ganhou a opção de um novo motor de seis cilindros, com 4100cc, que o acompanharia até o final da produção e iria para o seu sucessor, o Omega e até a Pick-up Silverado. Esse motor de 4100cc, equipava inicialmente, a versão esportiva SS e a luxuosa versão Gran Luxo. Ainda em 71, o carro recebeu câmbio de quatro marchas com alavanca no assoalho, freios a disco na dianteira e bancos dianteiros individuais, itens disponíveis somente para a versão SS e Gran Luxo.

Em 1972, surge a versão duas portas para toda a linha, sendo assim a versão SS de 4 portas foi abolida, já que não trazia um estilo de linhas esportivas e sim clássicas, então entra em “ação” a versão SS de duas portas, com um estilo de época, um verdadeiros Fastback. Neste mesmo ano teve adoção do motor de 4100cc para toda a linha Opala, e começa o novo projeto da GM, a Opala Caravan, mas que só chegaria ao mercado no ano de 1975. Para 73, a grade dianteira foi redesenhada, os piscas dianteiros passaram a ser ao lado dos faróis. A versão SS ganha novas cores e novas faixas esportivas. Ainda em 73 a Envemo começou a produzir o Opala/E, um Opala cupê com rodas especiais, grade especial, interior com volante e instrumentos especiais, isso sem contar o motor que podia receber vários estágios de preparação.Em 74 surge novas cores, novos acabamentos e novos opcionais. Ainda para esse ano foi lançado um novo motor. Tratava-se de quatro cilindros que iria substituir o velho e “arcaico” motor 153, sendo esse novo motor o 151 de 89cv e o 151-S de 97cv. Ainda nesse ano chega a novidade da transmissão automática para os motores de quatro cilindros. Ainda neste ano a GM volta com o projeto Opala Caravan e já vem pensando na Opala Pick-up, porem a Caravan chegaria no ano seguinte e o Pick-up não viria a ser produzida. Nesse ano o Opala entrava na casa dos 300mil veículos produzidos.

No ano de 1975 aparece a linha Opala de cara nova, nova frente, nova traseira, novo interior, novos estilos de acabamentos, novos opcionais, novas cores e ainda novos modelos. Chega ao mercado a perua Caravan, descendente da linha direta da linha Opala, que já em 1976 conquistaria o título de carro do ano. Na Europa a Caravan também existia com quatro portas, mas que por aqui teve apenas duas.

No mesmo ano, é lançada a nova versão "top" de linha, o Chevrolet Comodoro sedan e cupê, ambos com motores de seis cilindros, ar-condicionado e direção hidráulica como itens de linha para essa versão, ficando como item opcional somente a transmissão automática. A versão SS teve nova reestilização de pintura para esse ano. Nesse ano acontece um lançamento de peso, que foi o lançamento da novidade do motor 250-S, um 4100cc "vitaminado" de 169cv, com volante do motor mais leve, comando de válvulas com maior ângulo, tuchos mecânicos e carburado com uma lendária Weber DFV 446. O famoso e lendário 250-S, foi uma iniciativa dos pilotos Jan Balder e Bob Sharp, que já estavam “cansados” de andar atrás dos “temidos” motores V8 302, que equipavam o Ford Maverick. Após essa iniciativa os Opalas nunca mais andaram atrás dos 302. Esse motor era um opcional para a versão SS e Comodoro.

Em 1976 a linha Opala continuava a mesma, porem sempre com inovações técnicas em sua motorização e itens de segurança. Novamente o SS ganha nova pintura, agora mais esportiva que no ano anterior.

Em 1977, a linha Opala teve um empobrecimento para a versão Comodoro, que perdeu seus itens de linha para itens opcionais, já que no ano anterior a linha tinha somente a transmissão automática como opcional, agora para ter motor de seis cilindros, direção hidráulica e ar-condicionado era preciso pagar a mais. A versão Comodoro começava a sair com motor de quatro cilindros como item de linha.

Para o ano de 1978, chega novidades de alto peso, sendo o lançamento da esportiva Caravan SS-4 e Caravan SS-6 e também a nova versão do Comodoro e De Luxo, a versão Château que trazia um interior todo na cor vinho. Outro lançamento de peso foi a novidade do motor 250-S, que agora estava disponível para toda a linha Opala. Em1979, a linha Opala continuou a mesma, porem, mais uma vez a versão Comodoro teve um empobrecimento, perdeu alguns detalhes, como os apliques internos em Jacarandá, painel em Jacarandá, frisos do painel traseiro, borrachões de pára-choques, detalhes de nos bancos, e a tampa de combustível foi mudada, agora não trazia mais a escrita Chevrolet Comodoro. Ainda nesse ano, a GM fez seu novo projeto, o Chevrolet Diplomata, um cupê durado com meio teto em vinil preto, porem, o carro foi somente um protótipo, a versão definitiva viria em 1980.

Em 1980, mais um pesado face-lift (uma "reforma" de estilo). A frente recebe faróis retangulares com lanternas nas extremidades dos pára-lamas, uma tendência na época, e as lanternas traseiras se tornaram retangulares e maiores. O Diplomata, que havia sido apresentado informalmente em 79, agora chega em 80 com a versão definitiva. Neste mesmo ano a versão SS ganha nova pintura e dá seus últimos suspiros. Assim acaba a saga da versão esportiva SS, mas em grande estilo.

Em 1981, a linha Opala ganhava pequenas modificações, como frisos em volta das lanternas dianteiras e traseiras nas versões mais luxuosas, e um painel de instrumentos redesenhado, muito mais moderno. Nem poderia ser diferente, pois o painel encontrado até 80 era praticamente o mesmo desde o lançamento do carro, em 68. Ainda nesse ano inicia-se a venda do motor quatro cilindros movido a álcool, porem o mais esperado era o motor de seis cilindros a álcool, que deveria – pela taxa de compressão mais alta – "andar" melhor. Este porem, só chegaria quatro anos depois. Nesse ano a Concessionária Dipave de Curitiba-Pr, começou a fabricar o Opala Summer, ele era um Opala Comodoro cupê conversível, com rodas especiais e pára-choques de plástico alongados.

Em 82, a linha ganha mais um modelo, o Opala e Caravan Silver Star. O Opala e Caravan com motores de quatro cilindros passaram a ter disponível o câmbio de cinco marchas. Até 1984 a linha Opala não sofreu mudanças, a não ser a adoção de um novo padrão interno na cor tabaco. Apesar desse ano não ter tido muitas novidades teve coisas bem interessantes que aconteceram. Uma delas foi a fabricação de uma Caravan de cinco portas, associando as quatro portas do sedan na carroceria da perua foi fabricada, essa façanha foi da Concessionária Guaporé de São Paulo-Sp.

Em 1985 aconteceram novas mudanças, como lanternas traseiras redesenhadas, adoção de faróis auxiliares entre a grade e os faróis, nova grade, rodas, calotas, capa de volante, caixa de instrumentos do painel ("cluster") etc. Além disso, a Caravan ganhou a versão Diplomata, e o motor seis cilindros começou a ser produzido também a álcool. Neste mesmo ano chega a linha Opala a pintura em dois tons, mais conhecida como saia-e-blusa.

Em 1886 a linha Opala perde a opção do motor de 250-S, sendo assim ficou disponível somente o 4100 “normal” movido a gasolina e a álcool. Para 1987 a linha permaneceu a mesma.

Em 88, novo pacote de mudanças de estilo, com faróis, lanternas, volante e rodas remodelados, além da introdução da regulagem da coluna da direção em sete posições e o lançamento da transmissão “Automatic-4”, que agora contava com quatro marchas, essa transmissão era opcional para o Diplomata e Comodoro com motores de seis cilindros. Nesse ano volta a sensação do interior vinho para a versão Diplomata. Em meados desse ano, o Opala cupê (duas portas) se despede do público e acontecem pequenas mudanças mecânicas: O eixo cardam passa a ser bi-partido e a suspensão dianteira recebe novas buchas e bandejas. Neste ano as empresas Envemo, Sulam e Avallone, produziam os Opalas Limusine, este, feito para atender as pessoas saudosas do Ford Landau.O tamanho entre os eixos da Limusine variava, tinha as de 30cm feitas pela Envemo, as de 50cm feitas pela Sulam e as de 100cm feitas pela Avallone.

Em 1989 a linha Opala ganha novos retrovisores, com pé mais largo e moldura de acabamento, novas lanternas de cor fumê para o Opala e Caravan da versão. Diplomata.


Em 1990 a linha Opala continuava a mesma, sofrendo somente a retirada de um pequeno detalhes, o jogo de frisos que contornavam as lanternas traseiras, e chegada do completo sistema elétrico para a versão Comodoro, que antes era só disponível para o Diplomata.

Em 1991 a linha Opala sofre derradeiros retoques. Nesse ano, numa tentativa de estender um pouco a vida do carro, os velhos pára-choques de chapa de aço deram lugar a outros, desta vez eles eram envolventes e de material plástico. No Opala, os quebra-ventos deixaram de existir, muito embora continuassem na Caravan até o fim de sua produção. A direção hidráulica passou a ser a ZF Servotronic, comandada por processadores eletrônicos, equipamento que não estaria disponível nem no sucessor do Opala, O Omega. Os freios traseiros passaram a ser a disco no Diplomata, e as rodas mudaram, foram adotadas rodas de aro 15”.


Em 92, a longa estrada percorrida pelo Opala estava chegando ao fim. Com a introdução da caixa de câmbio de cinco marchas Clark (CL2215) e apoios de cabeça vazados, o Opala vivia seus últimos momentos.

Nesse ano de 1992, surge uma séries especial somente para o Opala Diplomata, a série foi chamada de Collectors, com produção limitada em 100 veículos, todos com disponíveis com câmbio automático. Esta série era destinada principalmente para os diretores da GM.

Às 14 horas do dia 16 de abril de 1992, o último Opala, um Diplomata "Collectors" (foto ao lado), cor vinho perolizado e com interior em couro preto, junto com uma Caravan ambulância de cor branca, deixou a linha de montagem da GM em São Caetano. Era o adeus do Opala, depois de 23 anos de grandes sucessos e grandes marcas de vendas.

Esse último carro ainda se encontra na GM, esperando seu lugar no museu que a empresa pretende construir no Rio Grande do Sul, mas boatos dizem que esse carro foi doado para o Museu da Ulbra no Rio Grande do Sul.

Foram produzidos exatos um milhão de Opala, que fizeram história como um dos maiores sucessos da General Motors do Brasil e um dos maiores ícones da industria automobilística do Brasil, que foi totalmente revolucionada com o lançamento do Chevrolet Opala
.


Marko4100
Opaleiro
Opaleiro

Masculino Número de Mensagens : 1691
Idade : 33
Localização : PG
Modelo do carro : Opala Comodoro 89/90
Cilindros : 6 cilindros
Data de inscrição : 26/02/2010

Re: CRONOLOGIA

Mensagem por Marko4100 em Dom 3 Jul - 21:06:37

Faltou citar a fonte das informações...

victor estevao
Opaleiro
Opaleiro

Masculino Número de Mensagens : 72
Idade : 24
Localização : RIO GRANDE DO SUL
Modelo do carro : Opala comodoro 1982
Cilindros : 4 CIL ALCOOL
Data de inscrição : 19/06/2011

Re: CRONOLOGIA

Mensagem por victor estevao em Dom 3 Jul - 21:19:29

bha brother pior que nao me lembro,esses dados estavam no meu pc guardados em uma pasta feita so para opala hehehehe, acomulo informaçoes!

kdt_go
Opaleiro
Opaleiro

Masculino Número de Mensagens : 1792
Localização : Goiânia-GO
Modelo do carro :
Opala Coupé 250-S 1978/9
Caravan Diplomata SE 4.1/S Aut4

Cilindros : 6c, 250-S
6c, 4100
Data de inscrição : 29/05/2009

Re: CRONOLOGIA

Mensagem por kdt_go em Dom 3 Jul - 23:34:43

Numa tarde de ócio eu fiz isso:


branco 75
Opaleiro
Opaleiro

Masculino Número de Mensagens : 3998
Localização : curitiba
Modelo do carro : coupe 1975 4 cil 2500
caravan 1978 6 cil 4100
Data de inscrição : 24/11/2008

Re: CRONOLOGIA

Mensagem por branco 75 em Seg 4 Jul - 9:15:49

bacana..

Marko4100
Opaleiro
Opaleiro

Masculino Número de Mensagens : 1691
Idade : 33
Localização : PG
Modelo do carro : Opala Comodoro 89/90
Cilindros : 6 cilindros
Data de inscrição : 26/02/2010

Re: CRONOLOGIA

Mensagem por Marko4100 em Seg 4 Jul - 19:50:34

victor estevao escreveu:bha brother pior que nao me lembro,esses dados estavam no meu pc guardados em uma pasta feita so para opala hehehehe, acomulo informaçoes!

tava só brincando..rsssssssssssss lol!

Conteúdo patrocinado

Re: CRONOLOGIA

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 13:09:20


    Data/hora atual: Qui 8 Dez - 13:09:20